Freedom. A liberdade não se compra, se conquista.
Atualizações recentes
  • Agora vejam só a incoerência e desespero: o decadente jornaleco vermelho Estadão usa informações PRIVILEGIADAS para "acusar" jornalistas da Direita de usar informações PRIVILEGIADAS.
    O mais interessante nisso é que as informações divulgadas pela Direita são públicas e não fazem parte de qualquer tipo de inquérito sigiloso, ou seja, não há crime algum, enquanto as divulgadas de maneira no mínimo antiética pelo Estadão e repercutidas pela imprensa cooptada são informações obtidas por meio de crime de quebra de segredo de justiça cometido por alguém de dentro do STF.
    Resta perguntar se após essa matéria algum órgão do Estado vai investigar quem cometeu o crime supra mencionado. A resposta todos nós sabemos.
    Agora vejam só a incoerência e desespero: o decadente jornaleco vermelho Estadão usa informações PRIVILEGIADAS para "acusar" jornalistas da Direita de usar informações PRIVILEGIADAS. O mais interessante nisso é que as informações divulgadas pela Direita são públicas e não fazem parte de qualquer tipo de inquérito sigiloso, ou seja, não há crime algum, enquanto as divulgadas de maneira no mínimo antiética pelo Estadão e repercutidas pela imprensa cooptada são informações obtidas por meio de crime de quebra de segredo de justiça cometido por alguém de dentro do STF. Resta perguntar se após essa matéria algum órgão do Estado vai investigar quem cometeu o crime supra mencionado. A resposta todos nós sabemos.
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • B|
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • B|
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • O jovem de hoje em dia 🤣
    O jovem de hoje em dia 🤣
    1
    1 0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Apresento em primeira mão o resultado das eleições de 2020. 🤣
    Apresento em primeira mão o resultado das eleições de 2020. 🤣
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Para o autoproclamado "jornalista raiz" José Maria Trindade, seja lá o que isso signifique, as urnas eletronicas são perfeitamente auditáveis.
    Para tanto, basta que sejam fotografadas os boletins de urna colocados à disposição dos eleitores nas sessões após as eleições e comparados com os resultados divulgados pelo TSE, agora concentrador da apuração de todas as eleições sem nenhuma explicação lógica razoável.
    Gostaria que o sabichão explicasse como arregimentar pessoas em número suficiente para fotografar, enviar para processamento e comparar os resultados de quase 470.000 urnas com o que o TSE divulga, além de esclarecer como montar uma estrutura independente para receber e proceder a essa checagem de forma confiável e eficiente.
    Lembrando que isso já foi tentado uma vez e falhou miseravelmente.
    Aliás, imaginar que a fraude seria feita por terceiros depois de estarem nas sessões soa infantil e demonstra claramente o desconhecimento do processo eleitoral ou má-fé pura e simples. O que garante que as urnas não foram preparadas na origem, dentro do TSE ? Seria o famoso mote "la garantia sou yo" ?
    Já não bastasse a gigantesca bobagem de dizer diversas vezes que "pesquisas eleitorais" são científicas porque usam a matemática e portanto totalmente confiáveis e de demonstrar claramente que não consegue entender como funcionam as eleições nos EUA, agora esse senhor vem com essa.
    Falar do que não sabe e criticar o que não conhece é a vocação dos ignorantes (Fernando Scheuermann).
    Para o autoproclamado "jornalista raiz" José Maria Trindade, seja lá o que isso signifique, as urnas eletronicas são perfeitamente auditáveis. Para tanto, basta que sejam fotografadas os boletins de urna colocados à disposição dos eleitores nas sessões após as eleições e comparados com os resultados divulgados pelo TSE, agora concentrador da apuração de todas as eleições sem nenhuma explicação lógica razoável. Gostaria que o sabichão explicasse como arregimentar pessoas em número suficiente para fotografar, enviar para processamento e comparar os resultados de quase 470.000 urnas com o que o TSE divulga, além de esclarecer como montar uma estrutura independente para receber e proceder a essa checagem de forma confiável e eficiente. Lembrando que isso já foi tentado uma vez e falhou miseravelmente. Aliás, imaginar que a fraude seria feita por terceiros depois de estarem nas sessões soa infantil e demonstra claramente o desconhecimento do processo eleitoral ou má-fé pura e simples. O que garante que as urnas não foram preparadas na origem, dentro do TSE ? Seria o famoso mote "la garantia sou yo" ? Já não bastasse a gigantesca bobagem de dizer diversas vezes que "pesquisas eleitorais" são científicas porque usam a matemática e portanto totalmente confiáveis e de demonstrar claramente que não consegue entender como funcionam as eleições nos EUA, agora esse senhor vem com essa. Falar do que não sabe e criticar o que não conhece é a vocação dos ignorantes (Fernando Scheuermann).
    1
    1 0 Comentários 0 Compartilhamentos

  • Quando me questionam porque sou de direita, minha explicação é simples ...
    Quando um direitista não gosta de armas, não compra.
    Quando um esquerdista não gosta de armas, quer proibi-las.
    Quando um direitista é vegetariano, não come carne.
    Quando um esquerdista é vegetariano, faz campanha contra produtos de origem animal.
    Quando um direitista é homossexual, vive a sua vida sem problemas.
    Quando um esquerdista é homossexual, exige mais respeito e quer que todos sejam igual a ele.
    Quando um direitista é ateu, não vai à igreja, nem à sinagoga, nem à mesquita e toca a vida.
    Quando um esquerdista é ateu, quer um mundo ateu e sem religião.
    Quando a economia vai mal, o direitista arregaça as mangas e trabalhar mais.
    Quando a economia vai mal, o esquerdista ataca os patrões e para o país com greves.
    Quando o direitista ler isso vai rir e concordar com essa realidade e vai compartilhar.
    Quando um esquerdista ler isso, vai atacar e chamar de fascista.
    Esse texto não é meu, repassei porque é a pura verdade...
    B| Quando me questionam porque sou de direita, minha explicação é simples ... Quando um direitista não gosta de armas, não compra. Quando um esquerdista não gosta de armas, quer proibi-las. Quando um direitista é vegetariano, não come carne. Quando um esquerdista é vegetariano, faz campanha contra produtos de origem animal. Quando um direitista é homossexual, vive a sua vida sem problemas. Quando um esquerdista é homossexual, exige mais respeito e quer que todos sejam igual a ele. Quando um direitista é ateu, não vai à igreja, nem à sinagoga, nem à mesquita e toca a vida. Quando um esquerdista é ateu, quer um mundo ateu e sem religião. Quando a economia vai mal, o direitista arregaça as mangas e trabalhar mais. Quando a economia vai mal, o esquerdista ataca os patrões e para o país com greves. Quando o direitista ler isso vai rir e concordar com essa realidade e vai compartilhar. Quando um esquerdista ler isso, vai atacar e chamar de fascista. Esse texto não é meu, repassei porque é a pura verdade...
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • B|
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • The Gift
    -Melhor Animação e Melhor no Desafio de Evento, Som e Imagem 2014. Macau, China.
    - Prêmio do Júri para Adultos e Prêmio do Júri para Crianças, Festival Internacional de Cinema YoungAbout 2014. Bolonha, Itália.
    - Prêmio de audiência, festival internacional de novas artes Innersound. Bucareste, Romênia.
    -Melhor roteiro, festival Curtmiratges, Barcelona, ​​Espanha. Finalista “Prêmio do júri” e “Melhor música”.
    -Melhor curta-metragem animado. FECLAC 2013. Santiago, Chile.
    -Melhor curta-metragem animado. Mecal Chile 2013. Santiago, Chile.
    -Menção curta-metragem animado. Festival Unframe 2013, La rioja, Argentina.
    -Menção especial. Libélula Fest 2013. Barcelona, ​​Espanha.
    -Menção honrosa. Fam Fest 2014. Carolina do Sul, EEUU.
    -Menção especial, V Festival de Cine: Infancia y Adolescencia “Ciudad de Bogotá” 2014, Bogotá, Colômbia.
    The Gift -Melhor Animação e Melhor no Desafio de Evento, Som e Imagem 2014. Macau, China. - Prêmio do Júri para Adultos e Prêmio do Júri para Crianças, Festival Internacional de Cinema YoungAbout 2014. Bolonha, Itália. - Prêmio de audiência, festival internacional de novas artes Innersound. Bucareste, Romênia. -Melhor roteiro, festival Curtmiratges, Barcelona, ​​Espanha. Finalista “Prêmio do júri” e “Melhor música”. -Melhor curta-metragem animado. FECLAC 2013. Santiago, Chile. -Melhor curta-metragem animado. Mecal Chile 2013. Santiago, Chile. -Menção curta-metragem animado. Festival Unframe 2013, La rioja, Argentina. -Menção especial. Libélula Fest 2013. Barcelona, ​​Espanha. -Menção honrosa. Fam Fest 2014. Carolina do Sul, EEUU. -Menção especial, V Festival de Cine: Infancia y Adolescencia “Ciudad de Bogotá” 2014, Bogotá, Colômbia.
    1
    0 0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Cidades em que prefeitos e governadores adotaram lockdown - seja parcial ou total - tiveram duas possiveis consequencias: funcionou ou não funcionou.
    Se funcionou, por que novo lockdown ? Se precisa de novo lockdown é porque não funcionou.
    Se não funcionou, qual a justificativa para tentar de novo o que se provou falho ?
    Não faz o menor sentido lógico. Hora de acabar com essa tirania saída das cabeças putrefatas desses hitleres tupininquins e reagir para que a vida retorne ao seu caminho natural.
    Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre
    Em nosso espírito sofrer pedras e flechas
    Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja,
    Ou insurgir-nos contra um mar de provocações
    E em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais.
    Dizer que rematamos com um sono a angústia
    E as mil pelejas naturais-herança do homem:
    Morrer para dormir… é uma consumação
    Que bem merece e desejamos com fervor.
    Dormir… Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo:
    Pois quando livres do tumulto da existência,
    No repouso da morte o sonho que tenhamos
    Devem fazer-nos hesitar: eis a suspeita
    Que impõe tão longa vida aos nossos infortúnios.
    Quem sofreria os relhos e a irrisão do mundo,
    O agravo do opressor, a afronta do orgulhoso,
    Toda a lancinação do mal-prezado amor,
    A insolência oficial, as dilações da lei,
    Os doestos que dos nulos têm de suportar
    O mérito paciente, quem o sofreria,
    Quando alcançasse a mais perfeita quitação
    Com a ponta de um punhal? Quem levaria fardos,
    Gemendo e suando sob a vida fatigante,
    Se o receio de alguma coisa após a morte,
    –Essa região desconhecida cujas raias
    Jamais viajante algum atravessou de volta –
    Não nos pusesse a voar para outros, não sabidos?
    O pensamento assim nos acovarda, e assim
    É que se cobre a tez normal da decisão
    Com o tom pálido e enfermo da melancolia;
    E desde que nos prendam tais cogitações,
    Empresas de alto escopo e que bem alto planam
    Desviam-se de rumo e cessam até mesmo
    De se chamar ação.
    (William Shakespeare, Ato III, Cena I de A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca)
    Cidades em que prefeitos e governadores adotaram lockdown - seja parcial ou total - tiveram duas possiveis consequencias: funcionou ou não funcionou. Se funcionou, por que novo lockdown ? Se precisa de novo lockdown é porque não funcionou. Se não funcionou, qual a justificativa para tentar de novo o que se provou falho ? Não faz o menor sentido lógico. Hora de acabar com essa tirania saída das cabeças putrefatas desses hitleres tupininquins e reagir para que a vida retorne ao seu caminho natural. Ser ou não ser, eis a questão: será mais nobre Em nosso espírito sofrer pedras e flechas Com que a Fortuna, enfurecida, nos alveja, Ou insurgir-nos contra um mar de provocações E em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais. Dizer que rematamos com um sono a angústia E as mil pelejas naturais-herança do homem: Morrer para dormir… é uma consumação Que bem merece e desejamos com fervor. Dormir… Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo: Pois quando livres do tumulto da existência, No repouso da morte o sonho que tenhamos Devem fazer-nos hesitar: eis a suspeita Que impõe tão longa vida aos nossos infortúnios. Quem sofreria os relhos e a irrisão do mundo, O agravo do opressor, a afronta do orgulhoso, Toda a lancinação do mal-prezado amor, A insolência oficial, as dilações da lei, Os doestos que dos nulos têm de suportar O mérito paciente, quem o sofreria, Quando alcançasse a mais perfeita quitação Com a ponta de um punhal? Quem levaria fardos, Gemendo e suando sob a vida fatigante, Se o receio de alguma coisa após a morte, –Essa região desconhecida cujas raias Jamais viajante algum atravessou de volta – Não nos pusesse a voar para outros, não sabidos? O pensamento assim nos acovarda, e assim É que se cobre a tez normal da decisão Com o tom pálido e enfermo da melancolia; E desde que nos prendam tais cogitações, Empresas de alto escopo e que bem alto planam Desviam-se de rumo e cessam até mesmo De se chamar ação. (William Shakespeare, Ato III, Cena I de A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca)
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
Mais stories