Atualizações recentes
  • De início, quero pedir desculpas aos colegas da Rede TalkeyBook por ter que entrar num assunto muito desagradável.

    Um dos objetivos da rede, creio eu, é o de confraternização e troca de boas energias entre pessoas que comungam de mesmas ideias, principalmente as políticas. Portanto, abordar tema como o que descreverei a seguir está fora desses objetivos, mas se faz necessário em nome da transparência e clareza dos fatos que ocorreram.

    Na noite de quinta-feira última, dia 26, eu já me preparava para dormir quando vi uma resposta a um comentário que fiz para uma postagem da colega Dilza Araújo sobre o tão falado Juiz de Garantias. Fui ver e encontrei a opinião do outro nosso colega Irwin Winnir, divergindo das minhas colocações.

    Nada mais normal num fórum de debates, num ambiente para troca de ideias.

    Porém, o que se seguiu foi a escalada de um debate áspero e agressivo por parte do nosso colega contra mim, como se pode ver nas imagens que anexei a essa postagem.

    Uma vez que eu discordava dele, fui acusado de chamá-lo de mentiroso. Ora, quando duas pessoas não concordam com uma ideia, isso não signifique que uma esteja chamando a outra de mentirosa. Em nenhum trecho dos meus comentários eu usei essa palavra (“mentiroso”), mas foi assim que ele entendeu, o que se pode ver nas suas primeiras respostas que se seguiram.

    O que aconteceu é que eu cometi uma pequena desatenção com relação aos países que possuem o Juiz de Garantias. Eu expliquei imediatamente dizendo: “Desculpe, na pressa de escrever, e por ter muito texto, eu escrevi errado. Eu queria dizer: Não temos juizado de instrução como nesses outros países, ou seja, a instrução que ocorre lá não é como se dá aqui”. Em outras palavras, a instrução que se dá naqueles países é diferente da nossa.

    Mas isso bastou para que ele usasse esse pequeno detalhe para fazer seu cavalo de batalha por todo o restante do debate, mesmo eu tendo explicado o engano. Tudo isso está muito claro nas imagens da conversa.

    Não só se apegou a um detalhe para se desviar do foco principal como insistiu em dizer que eu o chamei de mentiroso. Podem procurar na conversa toda ONDE eu falei isso. Não acharão.

    Depois, foi a vez de me atacar. Fui chamado diretamente de “idiota”. Ele disse: “Está sendo idiota ao me confrontar. Mas estou disposto à briga. Venha”.

    Quando eu me mostrei ao longo do debate completamente desarmado e sem intenções de acirrar ainda mais a discussão, ele passou a NEGAR que tenha me chamado de “idiota”. Tudo isso se pode ver nas imagens abaixo.

    Também fica muito claro a sua disposição agressiva: “Mas estou disposto à briga. Venha”.

    Ora, eu não quero briga, eu não sou de briga, eu estava calmo e disposto apenas a conversar e ouvir dele as vantagens que tem o país passar a ter uma estrutura pesadíssima, mais cara, mais demorada, mais burocrática somente no sentido de proteger ainda mais quem já tem mil instâncias e recursos para GARANTIR os seus direitos. Era isso que eu queria que Irwin me explicasse. E não partir pra briga.

    Não usei de empáfia “pra cima dele” e nem o chamei de mentiroso. Divergi, enganei-me na afirmação, corrigi e até pedi desculpas. Mas esse foi o mote encontrado para fugir do questionamento principal: qual a vantagem do Juiz de Garantias? Esse Juiz iria dar ainda mais chances dos corruptos terem seus crimes prescritos ou embaralhar todo o processo com mais burocracia e demora.

    A seguir, fui chamado de Reinaldo Azevedo, de estar com “problemas sérios”, tudo isso caracterizando a falácia “ad hominem” em que se ataca o mensageiro para não ter que responder a mensagem. Fora as acusações iniciais de “idiota” e “se fazer de desentendido”. Atitudes claramente agressivas, apesar da minha passividade frente a esses ataques. Em muitos momentos, eu o chamei de “amigão” e me disse surpreso com tanto furor partindo de alguém que eu julgava ser mais amadurecido e equilibrado.

    Quando ele, finalmente, não encontrou argumentos para sustentar o debate, disse que ia embora. E foi quando eu constatei sua FUGA. E disse isso em outro comentário longo. E me despedi com “boa noite” e esperando que ainda fosse considerado amigo.

    Eu não queria ver vídeo, eu não queria pesquisar sobre Juiz de Garantias. Eu queria, simplesmente, que Irwin conversasse comigo, usando suas próprias palavras, o ganho que o país teria com essa figura que o Centrão e os implicados em corrupção criou para dificultar a condenação no processo. Mas ele não teve como defender seu ponto e FUGIU mesmo.

    No dia seguinte, eu vi que Irwin eliminou todos os trechos da fala dele no nosso debate. Ora, isso não é honesto. Quem chega e vê somente uma pessoa falando não vai entender nada e, o pior, não vai saber o motivo de eu me defender de agressões. O debate fica mutilado, fica cortado, fica editado, não serve mais pra nada. Uma pessoa só falando?
    Ele alegou que me tirou de sua lista de amigos e que a sua fala aparece para essa lista. Não sei.

    Para piorar, eu confundi essa postagem do nosso debate com outra em que fiz comentários. Achei que ele tinha cortado ainda mais e comentei isso. Peço desculpas pelo meu erro. Mas não retiro a acusação inicial de que o debate foi mutilado, editado e cortado para quem chega de fora e não faz parte da lista de amizades de Irwin.

    Enfim, tratou-se de um lamentável episódio que ocorreu no meio das festividades de Natal e Ano Novo.

    Tenho o coração aberto, não guardo mágoas, não alimento raiva ou rancor. Essas coisas só contaminam a alma e deixam seu dono ainda mais infeliz. Minha mãe sempre diz: “Raiva só faz mal a quem tem”. Eu concordo com ela.

    Não fui embora ainda porque, simplesmente, eu não mudei de lado. Eu gosto das postagens que aparecem aqui e continuo votando em Bolsonaro. Só que ele também é humano e erra. E errou. E precisa ser alertado de que está num rumo diferente daquele que assumia quando em campanha.

    Espero que as coisas se ajeitem.

    Feliz Ano Novo a todos.

    De início, quero pedir desculpas aos colegas da Rede TalkeyBook por ter que entrar num assunto muito desagradável. Um dos objetivos da rede, creio eu, é o de confraternização e troca de boas energias entre pessoas que comungam de mesmas ideias, principalmente as políticas. Portanto, abordar tema como o que descreverei a seguir está fora desses objetivos, mas se faz necessário em nome da transparência e clareza dos fatos que ocorreram. Na noite de quinta-feira última, dia 26, eu já me preparava para dormir quando vi uma resposta a um comentário que fiz para uma postagem da colega Dilza Araújo sobre o tão falado Juiz de Garantias. Fui ver e encontrei a opinião do outro nosso colega Irwin Winnir, divergindo das minhas colocações. Nada mais normal num fórum de debates, num ambiente para troca de ideias. Porém, o que se seguiu foi a escalada de um debate áspero e agressivo por parte do nosso colega contra mim, como se pode ver nas imagens que anexei a essa postagem. Uma vez que eu discordava dele, fui acusado de chamá-lo de mentiroso. Ora, quando duas pessoas não concordam com uma ideia, isso não signifique que uma esteja chamando a outra de mentirosa. Em nenhum trecho dos meus comentários eu usei essa palavra (“mentiroso”), mas foi assim que ele entendeu, o que se pode ver nas suas primeiras respostas que se seguiram. O que aconteceu é que eu cometi uma pequena desatenção com relação aos países que possuem o Juiz de Garantias. Eu expliquei imediatamente dizendo: “Desculpe, na pressa de escrever, e por ter muito texto, eu escrevi errado. Eu queria dizer: Não temos juizado de instrução como nesses outros países, ou seja, a instrução que ocorre lá não é como se dá aqui”. Em outras palavras, a instrução que se dá naqueles países é diferente da nossa. Mas isso bastou para que ele usasse esse pequeno detalhe para fazer seu cavalo de batalha por todo o restante do debate, mesmo eu tendo explicado o engano. Tudo isso está muito claro nas imagens da conversa. Não só se apegou a um detalhe para se desviar do foco principal como insistiu em dizer que eu o chamei de mentiroso. Podem procurar na conversa toda ONDE eu falei isso. Não acharão. Depois, foi a vez de me atacar. Fui chamado diretamente de “idiota”. Ele disse: “Está sendo idiota ao me confrontar. Mas estou disposto à briga. Venha”. Quando eu me mostrei ao longo do debate completamente desarmado e sem intenções de acirrar ainda mais a discussão, ele passou a NEGAR que tenha me chamado de “idiota”. Tudo isso se pode ver nas imagens abaixo. Também fica muito claro a sua disposição agressiva: “Mas estou disposto à briga. Venha”. Ora, eu não quero briga, eu não sou de briga, eu estava calmo e disposto apenas a conversar e ouvir dele as vantagens que tem o país passar a ter uma estrutura pesadíssima, mais cara, mais demorada, mais burocrática somente no sentido de proteger ainda mais quem já tem mil instâncias e recursos para GARANTIR os seus direitos. Era isso que eu queria que Irwin me explicasse. E não partir pra briga. Não usei de empáfia “pra cima dele” e nem o chamei de mentiroso. Divergi, enganei-me na afirmação, corrigi e até pedi desculpas. Mas esse foi o mote encontrado para fugir do questionamento principal: qual a vantagem do Juiz de Garantias? Esse Juiz iria dar ainda mais chances dos corruptos terem seus crimes prescritos ou embaralhar todo o processo com mais burocracia e demora. A seguir, fui chamado de Reinaldo Azevedo, de estar com “problemas sérios”, tudo isso caracterizando a falácia “ad hominem” em que se ataca o mensageiro para não ter que responder a mensagem. Fora as acusações iniciais de “idiota” e “se fazer de desentendido”. Atitudes claramente agressivas, apesar da minha passividade frente a esses ataques. Em muitos momentos, eu o chamei de “amigão” e me disse surpreso com tanto furor partindo de alguém que eu julgava ser mais amadurecido e equilibrado. Quando ele, finalmente, não encontrou argumentos para sustentar o debate, disse que ia embora. E foi quando eu constatei sua FUGA. E disse isso em outro comentário longo. E me despedi com “boa noite” e esperando que ainda fosse considerado amigo. Eu não queria ver vídeo, eu não queria pesquisar sobre Juiz de Garantias. Eu queria, simplesmente, que Irwin conversasse comigo, usando suas próprias palavras, o ganho que o país teria com essa figura que o Centrão e os implicados em corrupção criou para dificultar a condenação no processo. Mas ele não teve como defender seu ponto e FUGIU mesmo. No dia seguinte, eu vi que Irwin eliminou todos os trechos da fala dele no nosso debate. Ora, isso não é honesto. Quem chega e vê somente uma pessoa falando não vai entender nada e, o pior, não vai saber o motivo de eu me defender de agressões. O debate fica mutilado, fica cortado, fica editado, não serve mais pra nada. Uma pessoa só falando? Ele alegou que me tirou de sua lista de amigos e que a sua fala aparece para essa lista. Não sei. Para piorar, eu confundi essa postagem do nosso debate com outra em que fiz comentários. Achei que ele tinha cortado ainda mais e comentei isso. Peço desculpas pelo meu erro. Mas não retiro a acusação inicial de que o debate foi mutilado, editado e cortado para quem chega de fora e não faz parte da lista de amizades de Irwin. Enfim, tratou-se de um lamentável episódio que ocorreu no meio das festividades de Natal e Ano Novo. Tenho o coração aberto, não guardo mágoas, não alimento raiva ou rancor. Essas coisas só contaminam a alma e deixam seu dono ainda mais infeliz. Minha mãe sempre diz: “Raiva só faz mal a quem tem”. Eu concordo com ela. Não fui embora ainda porque, simplesmente, eu não mudei de lado. Eu gosto das postagens que aparecem aqui e continuo votando em Bolsonaro. Só que ele também é humano e erra. E errou. E precisa ser alertado de que está num rumo diferente daquele que assumia quando em campanha. Espero que as coisas se ajeitem. Feliz Ano Novo a todos.
    8 Comentários 0 Compartilhamentos
  • https://twitter.com/PATRlOTAS/status/1209201428776046595
    https://twitter.com/PATRlOTAS/status/1209201428776046595
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Amigos, eu não sei o que vocês estão pensando, mas eu estou profundamente decepcionado com as últimas ações de Bolsonaro.

    Quero informar de início de que NÃO estou abandonando o barco.
    Bolsonaro é a melhor arma para combater os inúmeros inimigos que estavam saqueando o Brasil e direcionando o país para um destino cruel.

    Mas precisamos falar sobre o que ele anda fazendo.
    Não é brincadeira.

    E eu ainda nem entrei no tema "juiz de garantias".
    Vejam essa manchete: "Decreto do governo estabelece cotas para exibição de filmes nacionais em cinemas".
    Como é que um governo que se diz liberal, que tem o fantástico Paulo Guedes fazendo coisas maravilhosas, explica um monstrengo desses?
    Cotas para filmes nacionais???
    É para prestigiar e valorizar o lixo que se produz aqui com a famigerada Lei Rouanet?
    É para canalizar verba pública para o Porta dos Fundos e Wagner Moura?
    Livre Mercado é a senha, é a pedra de toque, é o "Abre-te Cézamo" de qualquer economia que queira ser pujante, livre e próspera.
    Não é criando o coitadismo das cotas, enfiando goela abaixo filmes que ninguém quer ver só porque foi produzido pelos militontos daqui.

    E o tal "juiz de garantias"?
    Não se fala mais em outro assunto.
    A hashtag #BolsonaroTraidor ficou no 2º lugar dos Trends do Twitter.
    Não é pra menos.
    O cara está ficando irreconhecível.
    Uma colunista até comentou que se perguntassem a ele sua posição sobre o assunto na época da campanha, quando não existia Flávio Chocolate no horizonte, ele arremataria: "Combate à corrupção será prioridade do governo, talquei?"
    E era isso mesmo. A bandeira da campanha foi essa aí.
    O juiz de garantias é um jabuti de ninguém menos do que Marcelo Freixo, defensor de bandidos como o nosso velho conhecido Luís Silva, já fartamente condenado.
    Jamais passaria pela cabeça de Bolsonaro candidato admitir um negócio desses.
    Eu nem vou listar aqui as inúmeras desvantagens, pois isso se encontra em toda parte e aqui eu quero mais focar na postura do presidente.

    Bolsonaro mentiu sobre o compromisso firmado com Moro sobre o STF.
    Isso para mim é a pior facada que se pode dar em alguém.
    Moro abriu mão de 22 anos de uma carreira de sucesso para entrar numa canoa que está começando a afundar.
    Vejam a transcrição do que Bolsonaro disse em entrevista à rádio Bandeirantes:
    "Eu fiz um compromisso com ele, porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: a primeira vaga que tiver lá, vai estar à sua disposição".

    Ele vem falando de André Mendonça, o amigão de Toffoli e atual AGU para a primeira vaga já faz tempo.
    E agora ele já tem outro nome para a segunga vaga, um tal de Jorge Oliveira.
    vem com a mentira (não tem outra palavra doce para isso):
    “Você tem que indicar pessoas que possam ser aprovadas pelo Senado. A votação é secreta. Eu nunca tive um compromisso: ‘Vou indicar o Sergio Moro’”.

    Hein?!
    Como é que é?

    Moro não é e nunca foi político, não é o que ele quer, não é para ser político que deixou a magistratura.
    O lugar de Moro é no STF, é a consagração natural de quem quebrou a espinha dorsal da corrupção histórica no país que NUNCA prendia ricos.
    É a realização de algo justo e meritório.
    Não é algo que soa natural Sérgio Moro entrar de vice numa chapa de 2022 para vitaminar a candidatura de Bolsonaro, e só para isso mesmo.

    Acho que alguém precisa dar uma sacudida no presidente.
    Ele está enveredando por uma trilha muito, muito estranha...

    Meu desejo é que ele faça, como vem fazendo, um bom governo e que seja reeleito.
    Mas eu não posso ficar de braços cruzados e de boca fechada vendo essas coisas todas acontecendo.
    O que está errado precisa ser dito. E alertado.

    Se eu estiver errado, se ele indicar Moro e que tudo isso é apenas estratégia para não queimar o nome do ex-juiz, eu volto aqui para me penitenciar.
    Mas não parece ser isso o que vai acontecer.
    Mesmo assim, o juiz de garantias já era e as cotas de filme também...

    Amigos, eu não sei o que vocês estão pensando, mas eu estou profundamente decepcionado com as últimas ações de Bolsonaro. Quero informar de início de que NÃO estou abandonando o barco. Bolsonaro é a melhor arma para combater os inúmeros inimigos que estavam saqueando o Brasil e direcionando o país para um destino cruel. Mas precisamos falar sobre o que ele anda fazendo. Não é brincadeira. E eu ainda nem entrei no tema "juiz de garantias". Vejam essa manchete: "Decreto do governo estabelece cotas para exibição de filmes nacionais em cinemas". Como é que um governo que se diz liberal, que tem o fantástico Paulo Guedes fazendo coisas maravilhosas, explica um monstrengo desses? Cotas para filmes nacionais??? É para prestigiar e valorizar o lixo que se produz aqui com a famigerada Lei Rouanet? É para canalizar verba pública para o Porta dos Fundos e Wagner Moura? Livre Mercado é a senha, é a pedra de toque, é o "Abre-te Cézamo" de qualquer economia que queira ser pujante, livre e próspera. Não é criando o coitadismo das cotas, enfiando goela abaixo filmes que ninguém quer ver só porque foi produzido pelos militontos daqui. E o tal "juiz de garantias"? Não se fala mais em outro assunto. A hashtag #BolsonaroTraidor ficou no 2º lugar dos Trends do Twitter. Não é pra menos. O cara está ficando irreconhecível. Uma colunista até comentou que se perguntassem a ele sua posição sobre o assunto na época da campanha, quando não existia Flávio Chocolate no horizonte, ele arremataria: "Combate à corrupção será prioridade do governo, talquei?" E era isso mesmo. A bandeira da campanha foi essa aí. O juiz de garantias é um jabuti de ninguém menos do que Marcelo Freixo, defensor de bandidos como o nosso velho conhecido Luís Silva, já fartamente condenado. Jamais passaria pela cabeça de Bolsonaro candidato admitir um negócio desses. Eu nem vou listar aqui as inúmeras desvantagens, pois isso se encontra em toda parte e aqui eu quero mais focar na postura do presidente. Bolsonaro mentiu sobre o compromisso firmado com Moro sobre o STF. Isso para mim é a pior facada que se pode dar em alguém. Moro abriu mão de 22 anos de uma carreira de sucesso para entrar numa canoa que está começando a afundar. Vejam a transcrição do que Bolsonaro disse em entrevista à rádio Bandeirantes: "Eu fiz um compromisso com ele, porque ele abriu mão de 22 anos de magistratura. Eu falei: a primeira vaga que tiver lá, vai estar à sua disposição". Ele vem falando de André Mendonça, o amigão de Toffoli e atual AGU para a primeira vaga já faz tempo. E agora ele já tem outro nome para a segunga vaga, um tal de Jorge Oliveira. vem com a mentira (não tem outra palavra doce para isso): “Você tem que indicar pessoas que possam ser aprovadas pelo Senado. A votação é secreta. Eu nunca tive um compromisso: ‘Vou indicar o Sergio Moro’”. Hein?! Como é que é? Moro não é e nunca foi político, não é o que ele quer, não é para ser político que deixou a magistratura. O lugar de Moro é no STF, é a consagração natural de quem quebrou a espinha dorsal da corrupção histórica no país que NUNCA prendia ricos. É a realização de algo justo e meritório. Não é algo que soa natural Sérgio Moro entrar de vice numa chapa de 2022 para vitaminar a candidatura de Bolsonaro, e só para isso mesmo. Acho que alguém precisa dar uma sacudida no presidente. Ele está enveredando por uma trilha muito, muito estranha... Meu desejo é que ele faça, como vem fazendo, um bom governo e que seja reeleito. Mas eu não posso ficar de braços cruzados e de boca fechada vendo essas coisas todas acontecendo. O que está errado precisa ser dito. E alertado. Se eu estiver errado, se ele indicar Moro e que tudo isso é apenas estratégia para não queimar o nome do ex-juiz, eu volto aqui para me penitenciar. Mas não parece ser isso o que vai acontecer. Mesmo assim, o juiz de garantias já era e as cotas de filme também... :( :( :(
    2
    1 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 2
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Escracho
    Zeca Dirceu 'ovacionado' pelo povo brasileiro

    https://twitter.com/CarabiaJunior/status/1208375243125002240
    Escracho Zeca Dirceu 'ovacionado' pelo povo brasileiro https://twitter.com/CarabiaJunior/status/1208375243125002240
    2
    1 0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Tem muito dinheiro roubado na conta desses bandidos fantasiados de políticos...

    Vejam também o vídeo da matéria.


    https://diariodopoder.com.br/desde-2016-ex-esposa-avisava-que-ricardo-coutinho-era-ladrao/
    Tem muito dinheiro roubado na conta desses bandidos fantasiados de políticos... Vejam também o vídeo da matéria. https://diariodopoder.com.br/desde-2016-ex-esposa-avisava-que-ricardo-coutinho-era-ladrao/
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • https://www.youtube.com/watch?v=0_ZmvU8FTmw
    https://www.youtube.com/watch?v=0_ZmvU8FTmw
    GRETA THUNBERG NO TREM ''LOTADO''.
    Inscreva - se no canal. *AJUDE O CANAL A CRESCER https://apoia.se/diegorox Insta - Diegoroxoficial Greta Thunberg viaja sentada no chão de trem lotado na Ale...
    YouTube
    1
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Esse país não tem jeito...
    Como não podem mais corromper empresas para financiar campanhas e enriquecer, meteram a mão no Fundo Eleitoral e estouraram a boca do balão.

    E essa prisão em 2ª instância não vai sair NUNCA.


    https://diariodopoder.com.br/ideia-e-engavetar-pec-da-2a-instancia-ou-inviabiliza-la-aplicando-para-todas-as-justicas/
    Esse país não tem jeito... Como não podem mais corromper empresas para financiar campanhas e enriquecer, meteram a mão no Fundo Eleitoral e estouraram a boca do balão. E essa prisão em 2ª instância não vai sair NUNCA. :/ https://diariodopoder.com.br/ideia-e-engavetar-pec-da-2a-instancia-ou-inviabiliza-la-aplicando-para-todas-as-justicas/
    1
    1 Comentários 0 Compartilhamentos
  • Tempos difíceis para o MST...
    Tempos difíceis para o MST...
    2
    0 Comentários 0 Compartilhamentos
  • 1
    1 Comentários 0 Compartilhamentos
Mais stories